Neoenergia Brasília moderniza rede subterrânea do Distrito Federal e instala equipamento importado no Sudoeste



Protetores automatizados melhoram o desempenho e garantem a qualidade do fornecimento de energia

 

A Neoenergia Brasília segue com o processo de modernização de sua rede subterrânea e instala equipamentos de proteção automatizados em Estações Transformadoras do Sudoeste, nas SQSW's 301, 304, 305 e 306. A ação foi finalizada na última segunda-feira (17) e vai beneficiar mais de 11 mil pessoas que residem e trabalham na região. Os dispositivos, importados do Estados Unidos, melhoram o desempenho e garantem a qualidade do fornecimento de energia.

Com investimento de mais de R$ 4,3 milhões, a tecnologia traz uma maior confiabilidade no sistema elétrico da área, evitando a falta de energia na região, no caso de falha em algum circuito. Além disso, o sistema pode ser supervisionado, em tempo real, pelo novo Centro de Operações Integradas (COI), que pode atuar remotamente, sem a necessidade do deslocamento de equipes.

Sempre com o foco nos clientes, a Neoenergia Brasília inovou na metodologia para a instalação dos protetores. A companhia realizou pequenos desligamentos em algumas janelas de horários para reduzir os impactos da falta de energia e para que a população se programasse.

Antes da instalação dos protetores, técnicos da Neoenergia Brasília realizaram um treinamento de manutenção e de operação do novo equipamento de rede subterrânea.


Esse investimento faz parte do plano da Neoenergia Brasília para a modernização da infraestrutura elétrica do Distrito Federal. O planejamento da empresa prevê a instalação de mais 70 protetores automatizados em outras áreas ao longo do ano de 2022.

Logística – A distribuidora optou por trazer esses primeiros equipamentos de avião, no fim do ano passado, para agilizar o processo de instalação. Para se ter uma ideia da logística da operação, a carga, de 8,6 toneladas, levaria 45 dias para chegar ao Brasil se o transporte fosse feito de navio. Por meio de transporte aéreo, a viagem foi de apenas oito dias.

​